comportamento Cris Morais

PROFISSÕES MASCULINAS? NÃO MAIS!

19:52Bruna Cypriano

. Por Cris Morais .
21.10.14


O Mercado de trabalho tem se diversificado intensamente no que diz respeito a participação da mulher nos vários ramos de atividade. Contudo nem sempre foi assim. Até o fim da década de 60 a mulher tinha o papel exclusivo de mãe, esposa e dona de casa sendo assim o homem o único provedor da casa.

Esse panorama começa a mudar apartir de 1942, onde a fábrica Fort Worth no Texas (EUA) já admite a mão de obra feminina. Em 1970 a onda começa a ficar maior e a mulher consolida a conquista desse espaço e até hoje luta por seu lugar ao sol.


São muitas lutas todos os dias, por que se por um lado conquistamos essa independência por outro acabamos a acumular funções. A mãe e a esposa não tira férias o que dirá a dona de casa!




Hoje, funções tradicionalmente masculinas são encaradas com grande desafio e profissionalismo por nós mulheres. De natureza cautelosas, detalhistas e que buscam a excelência em tudo o que fazemos, trazemos tais qualidades como diferencial para desempenhar estes novos papéis.





E não é nada anormal passarmos por uma obra e ver uma Mestre de Obras ou uma Engenheira. Nos batalhões de Polícia a figura feminina está lá marcando sua presença. Já embarquei em muitos táxis com uma mulher ao volante e foi muito gratificante. Apesar de atualmente desempenhar pessoalmente uma função que tanto pode ser masculina como feminina (sou designer gráfico), sou a única mulher do setor.




Mesmo tendo tantas qualidades que nos destacam, não devemos esquecer a importância da qualificação profissional como diferencial no intuito de manter nosso espaço na sociedade. E mais ainda, não esquecer o nosso maior diferencial: a feminilidade, que em muitas situações é apaziguadora mas também tem um toque bem revolucionário!


Leia também...

0 comentários