Ana Paula Valadão Bruna Cypriano

REFLEXOS DA ALMA

12:16Bruna Cypriano

Resumo da Introdução do livro

. Por Bruna Cypriano .
02.11..14

Bom dia meninas,


Hoje eu gostaria de falar com vocês um pouquinho sobre um livro que estou lendo e recomendo a todas as mulheres, é o Reflexos da alma, escrito por Ana Paula Valadão, Devi Titus e Helena Tannure.

Recebi ele essa semana e estou lendo o primeiro capítulo. Mas foi impressionante como já na introdução do livro, já fui tocada por Deus.
Queria compartilhar com vocês, pelo menos resumidamente, um pouquinho da leitura.


Ana Paula, começa lembrando de um quadro que havia em uma das salas da igreja. A pintura era de uma mulher que se olhava no espelho e o seu rosto era refletido em forma de palavras. E é assim que nos vemos quando nos olhamos no espelho. Será que nos enxergamos através de palavras boas ou ruins? É algo tão inconsciente, mas acontece. 


Quando você se olha no reflexo, que palavras vem a sua mente? "feia", "gorda", "baixinha", "barriguda", "indigna", incapaz"?
A verdade é que tudo isso que ecoa em nossa mente, são frutos de rejeição. Palavras ruins que recebemos, coisas que vivemos na adolescência, na infância, sonhos que parecem nunca se realizar... Tudo isso, marca a alma em níveis profundos e muda a maneira como a mulher se vê.

"Parece que poucas palavras negativas são suficientes para fazer um grande estrago. Elas provocam um barulho tão alto que podem nos ensurdecer e não escutamos mais nada." Ana Paula Valadão


Isso faz com que muitas mulheres se tornem arrogantes, nervosas, vingativas, independentes. Algumas batalhadoras, conquistadoras. Mas o que pode estar por de trás desse jeito firme e determinado, ás vezes impetuoso, é a mesma ferida, o mesmo buraco, o mesmo vazio: a rejeição.

Esse sentimento pode se manifestar como um sistema de defesa pessoal, uma resistência que beira a insensibilidade. Debaixo dessa armadura de guerreira se esconde uma lepra, assim como a de Naamã.


"Naamã, comandante do exercito sírio, era muito respeitado e honrado pelo seu senhor, pois por meio dele o Senhor dera vitória a Síria. Mas esse grande guerreiro ficou leproso" (2 Rs 5.1)


Naamã devia se vestir sempre de roupas bonitas e repletas de insígnias de honra e autoridade. Quem o via o respeitava, era um homem valente e guerreiro de muitas batalhas e vitórias. Mas quando chegava em casa, precisava tirar aquela farda pomposa. Ele tinha que se desnudar diante de si mesmo e confrontar a dura realidade da lepra. E todos os seus relacionamentos familiares sofriam com a lepra. Ele não podia a esconder daqueles que estavam em sua casa. 


Bem, ele foi curado, restaurado por Deus quando se despiu e mergulhou nas águas do Jordão.


"...mergulhou sete vezes conforme a ordem do homem de Deus e foi purificado; e sua pele tornou-se como a de uma criança." (2 Rs 5.14)

Assim, sua vida, seus projetos, seus relacionamentos, tudo voltou a vida. Tudo passou a ser saudável outra vez.


E assim a Ana compara essa lepra de Naamã ás feridas escondidas no nosso interior, por baixo da maquiagem, de uma roupa legal, da personalidade, das atitudes, do temperamento, do jeito de se relacionar... A rejeição ameça matar tudo de bom em nossas vidas, e faz com que nossos relacionamentos íntimos sejam destruídos.


Para sermos curadas, precisamos ter a coragem de nos despir. Pode ser humilhante e doloroso mostrar-se frágil e necessitada de ajuda, mas não existe outro caminho até Deus.


"Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes" (Tiago 4.6)


Portanto, eis a resposta, "Humilhem-se diante do Senhor" (Tiago 4.10), esse é o primeiro passo.
Diante Dele, precisamos "descer do salto", tirar as máscaras, ser verdadeiras e sinceras ao reconhecer nossas feridas e imundícies. As dores e fracassos nos ajudam a reconhecer nossa total dependência do Senhor. Sem podermos curar a nós mesmas, recorremos a Deus humildemente e reconhecemos que ele pode.

As palavras que refletiam no espelho sobre a mulher, naquele quadro, eram palavras bonitas, palavras de vida. que Deus declarou a respeito da mulher e que formavam a sua verdadeira identidade. Parece que, finalmente ela conseguiu se ver como realmente era: amada, filha, perdoada, redimida, aceita, escolhida, vencedora, obra-prima... 


"Cristo em vocês, a esperança da glória" (Cl 1.27)


Aos poucos descobrimos que a imagem perfeita é a imagem de Cristo, que vai se refletir no espelho quando nos entregarmos totalmente a Deus.


Bom, se você conseguiu chegar até aqui na leitura, eu tenho certeza que você se reconheceu em muitos aspectos. Esse texto falou muito comigo, e apesar de estar resumido eu tentei passar a essência do que foi dito. 


Só há uma forma de sermos curadas, é levando as feridas a quem as pode curá-las. Pare de se esconder e seja humilde para reconhecer que você não é tão forte quanto parece. Isso vai mudar sua vida e seus relacionamentos. 


Espero que Deus tenha falado com você. 


Tenha um ótimo domingo e uma ótima semana!


Beijos!



Leia também...

0 comentários